Tistu será representado na Universidade da Califórnia

A mutitalentosa professora Silvia Rodrigues foi fazer um curso para contribuir com o desenvolvimento das habilidades socioemocionais das crianças…[Leia mais...]

Tistu será representado na Universidade da Califórnia

Tistu será a primeira escola no Brasil a ter uma profissional formada em programa do Instituto de Neurociências da Universidade da Califórnia (UCLA). A fisioterapeuta e professora de dança, Silvia Rodrigues, viajou nesta semana para os E.U.A para participar do Programa para a Educação e Enriquecimento de Habilidades Relacionais (PEERS®) – um programa de psicologia e neurociências da UCLA que visa a intervenção de crianças e jovens com dificuldade de interação social.

Cientificamente comprovado, o método PEERS é extremamente eficaz para desenvolver habilidades sociais em pessoas com dificuldades socioemocionais. Durante as práticas da formação, que tem a duração de 16 semanas, os profissionais aprenderão a desenvolver com as crianças jogos e atividades projetadas para ensaiar novas habilidades aprendidas e reforçar o desenvolvimento de habilidades em um cenário natural. “Essas habilidades estão intrinsicamente relacionadas com a aprendizagem formal”, ressalta.

 

 Desenvolvimento de habilidades socioemocionais na Escola

Este programa, segundo a professora, não está ligado somente para pessoas com Transtorno do Espectro Autista, apesar de ser procurado no mundo inteiro com este enfoque. O método é também direcionado às crianças que possuem Transtorno de Déficit de Atenção e hiperatividade, ansiedade, depressão e outras questões socioemocionais que precisam ser trabalhadas na atualidade. Além da Silvia, somente outra psicóloga do Rio de Janeiro tem essa especialização no Brasil.

“Eu já desenvolvo este trabalho de habilidades sociais na dança há anos e tenho muita gratidão, pois foi no Tistu que iniciei meu caminho com o trabalho da inclusão.Por isso, resolvi inscrever o nome da escola no programa. Após o término da formação, o site do Tistu estará disponível no site da Universidade da Califórnia como reconhecimento pelo trabalho de inclusão que desenvolvemos em nossa escola”, complementa.